Imposto de renda – Entreguei errado, o que fazer?

Enviou o Imposto de Renda 2020 com erros?
Não precisa se desesperar, existe maneira de conseguir reverter essa situação sem precisar gastar ainda mais. 

É possível retificar uma declaração até cinco anos após sua entrega, mas o ideal é fazer a retificação o quanto antes para evitar cair na malha fina

Você pode fazer quantas declarações retificadoras achar necessário. Porém, os especialistas recomendam cautela na hora de preencher o programa. Um número excessivo de retificações pode despertar suspeitas da Receita e levar a declaração para a malha fina.

Como entregar declaração retificadora?
Faça a retificação no mesmo programa de preenchimento da declaração original. Basta abri-lo e selecionar a declaração que será corrigida. Abra a ficha “Identificação do Contribuinte” e selecione o item “Declaração Retificadora”.

Em seguida, informe o número do recibo da declaração a ser retificada. O número possui 12 dígitos. Não coloque pontos nem traço. Se você não tiver o número do recibo, pode recuperá-lo acessando o menu “Imprimir” na barra do lado esquerdo do programa. Caso você já tenha feito uma ou mais retificações do IR 2020, utilize o número do recibo da retificação mais recente.

Depois, basta alterar a informação que deve ser corrigida e clicar no botão “Entregar declaração”, no canto inferior esquerdo da tela. Guarde uma cópia da declaração retificadora e do recibo de entrega.

A data da declaração retificadora se sobrepõe à data da declaração original. Ou seja, quem se adiantou para enviar a declaração original, mas precisou fazer uma declaração retificadora, perde a vantagem de receber a restituição mais cedo. 



No próprio programa gerador da Declaração de Ajuste Anual do IR 2020 é possível retificar o documento original, respeitando o prazo máximo de cinco anos estabelecido pela Receita Federal, sem pagamento de multas. Se a retificação acontecer até 30 de abril, prazo limite para declarar o IR 20120, é possível mudar qualquer dado, incluindo o modelo da declaração. Já se a retificação acontecer após o dia 30 de abril, o modelo escolhido originalmente deverá ser mantido.

Como retificar declarações antigas

É possível retificar as declarações de Imposto de Renda dos últimos cinco anos. Quem era obrigado a declarar nesses anos e cometeu erros ou esqueceu de incluir informações precisa fazer a retificação. 

Para fazer ou corrigir declarações de anos anteriores, você precisa instalar no seu computador os programas específicos de preenchimento para cada ano, disponíveis no site da Receita. Também precisa do número do recibo da declaração original (ou da última retificação, se houver) do ano que será corrigido, além do arquivo digital com a declaração preenchida. 

Você também pode fazer a declaração retificadora diretamente no Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da Receita Federal (e-CAC), sem precisar instalar programas no computador, mas a retificação online possui algumas restrições. É necessário possuir certificado digital ou gerar um código de acesso ao sistema para entrar no e-CAC.

Quem tem certificado digital pode corrigir qualquer campo das declarações dos últimos cinco anos, mesmo que a Receita não tenha apontado problemas nessas declarações. Já quem usa o código de acesso só consegue fazer a retificação online de declarações que apresentam alguma pendência. Nesse caso, só é possível corrigir algumas informações, como rendimentos tributáveis e deduções.

Malha fina
Cair na malha da Receita Federal, nem sempre significa que o contribuinte tenha lançado dados de forma errada. Como exemplo, o caso de se lançar uma despesa médica que não foi informada pelo profissional de saúde. A malha é o cruzamento de informações para verificar se houve, ou por qual razão houve, divergências.

“Cair na malha’’ não significa que (o contribuinte) vai pagar multa disse. Nessa retificação, é possível acabar aumentando o imposto devido e, daí, é preciso pagar essa diferença com multa. Ou seja, ao corrigir a declaração, é possível que o contribuinte tenha de pagar algum valor por ter ficado “devendo” imposto por conta do erro anterior.

Ao cair na malha, o contribuinte pode “consertar” o erro espontaneamente sem pagar multas. No entanto, ao ficar preso e não fazer nada para resolver a pendência, o contribuinte passará a ser fiscalizado pela Receita. Nestes casos, a multa poderá ser de 75% do imposto devido a 225% – elas são cobradas quando há sonegação, lançamento de despesas não dedutíveis ou omissão de receitas, por exemplo. As multas são estipuladas de acordo com o caso, quanto menos o contribuinte colaborar com a fiscalização, maior a multa.

Principais erros que o fazem cair na malha fina.
1) Problemas de digitação.
2) Não informar corretamente os dados do informe de rendimento.
3) Omitir rendimentos próprios ou dos dependentes.
4) Informar o mesmo dependente em mais de uma declaração.
5) Lançar despesas médicas indevidas ou sem comprovantes.
6) Confundir PGBL com VGBL.
7) Atualizar o valor dos bens.
8) Inquilino não declarar o aluguel pago.
9) Omitir compra e venda de bens dentro do mesmo ano.
10) Apresentar variação patrimonial incompatível com a renda.

Erros das empresas que levam funcionários para a malha
1 – Deixar de informá-lo ou declará-lo com CPF incorreto
2 – Deixar de repassar o Imposto de Renda retido do funcionário durante o ano
3 – Alterar o informe de rendimentos sem informar o funcionário

Quer saber mais sobre Imposto de Renda? Veja o nosso artigo:
Imposto de Renda 2020: Tudo o que você precisa saber


Precisa de ajuda para entregar sua declaração e não ter dor de cabeça?
Nós aqui da Apoia podemos te ajudar!
Entregamos sua declaração e acompanhamos o dia da sua restituição.
Quanto antes entregar, antes terá o retorno.

Quer saber como podemos fazer isso?
Chama a gente aí pelo WhatsApp 41 98452-2155 e vamos conversar!

Apoia, muito mais que uma simples contabilidade.

Imposto de renda – Entreguei errado, o que fazer?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo