Empresas – Medidas e cuidados em tempos de coronavírus

O Equipamento de Proteção Individual – EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção contra riscos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde.

O uso deste tipo de equipamento só deverá ser feito quando não for possível tomar medidas que permitam eliminar os riscos do ambiente em que se desenvolve a atividade, ou seja, quando as medidas de proteção coletiva não forem viáveis, eficientes e suficientes para a atenuação dos riscos e não oferecerem completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho.

Por que estamos falando sobre isso?

O vírus Coronavírus provoca infecções respiratórias. A descoberta do novo coronavírus (nCoV-2019) aconteceu em 31.12.2019 e foi identificado na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um informe onde aconselha que profissionais da saúde, expostos a pacientes suspeitos de contaminação pelo Coronavírus, devem utilizar respirador do tipo N95 (com certificação NIOSH), PFF2 (com certificação europeia) ou equivalente, para se proteger.

O contato com carne de animal silvestre ou de fazenda doentes também podem ser fontes de contaminação.
Recomendações que devem ser adotadas pelos estabelecimentos essenciais

O Governo do Estado do Paraná estabeleceu uma série de recomendações a serem seguidas por aqueles estabelecimentos que prestam serviços considerados essenciais e, portanto, seguirão abertos normalmente durante o período de pandemia do coronavírus. As medidas buscam dar mais segurança aos clientes e usuários, garantindo o controle da circulação do Covid-19 no Paraná. A adaptação dos locais devem começar imediatamente.

Para evitar o desabastecimento de gêneros alimentícios considerados de primeira necessidade, de higiene pessoal e limpeza, as empresas deverão observar, em função do seu estoque, a limitação do número de gêneros a serem adquiridos por cliente.

O atendimento dos pacientes com suspeita da Covid-19 em farmácias, laboratórios ou similares terá de ocorrer em local exclusivo e o profissional deve utilizar Equipamentos de Proteção Individual – EPI.

Em tempos de crise causada pelo coronavírus, esses equipamentos se tornaram praticamente parte de nossas vestimentas, ainda mais para pessoas que estão expostas e precisam sair de suas casas para trabalhar.

Toda empresa que decidir voltar às suas atividades (conforme liberado pelo seu governo estadual ou municipal, de atividades essenciais) devem se atentar ao uso correto dos equipamentos, protegendo seus funcionários de uma possível contaminação pelo vírus e não caindo em armadilhas jurídicas.

É obrigação dos supervisores e da empresa garantir que os profissionais façam o uso adequado dos equipamentos de proteção individual. Os EPIs devem ser utilizados durante todo o expediente de trabalho, seguindo todas as determinações da organização.

Os Equipamentos de Proteção Individual além de essenciais à proteção do trabalhador, visando a manutenção de sua saúde física e proteção contra os riscos de acidentes do trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho, podem também proporcionar a redução de custos ao empregador.
É  importante ressaltar que não basta o fornecimento do EPI ao empregado por parte do empregador, pois é obrigação deste fiscalizar o empregado de modo a garantir que o equipamento esteja sendo utilizado.São muitos os casos de empregados que, com desculpas de que não se acostumam ou que o EPI o incomoda no exercício da função, deixam de utilizá-lo e consequentemente, passam a sofrer as consequências de um ambiente de trabalho insalubre.

Responsabilidades sobre o uso do EPI

Empregador x Empregado

A Norma Regulamentadora 6 estabelece as responsabilidades do empregador e do empregado quanto ao uso do Equipamento de Proteção Individual.

O empregado também terá que observar as seguintes obrigações utilizar o EPI apenas para a finalidade a que se destina;responsabilizar-se pela guarda e conservação;comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio ao uso; e cumprir as determinações do empregador sob o uso pessoal;

Para finalizar…

Protocolos para farmácias, laboratórios e estabelecimentos similares:

Outras medidas que os estabelecimentos essenciais devem tomar

O que podemos fazer além de usar todas essas precauções informadas acima?


Isolamento social!
Sabemos que a economia precisa girar, porém, nesse momento, o  mais importante isso é salvar vidas. Caso exista a necessidade que você saia de casa, seja para ir ao seu trabalho, ou ir até um dos estabelecimentos que são marcados como essenciais, cuide-se, dessa forma, você também cuidará de todos os outros. Use álcool em gel, use máscara facial e apenas saia de casa se for realmente preciso. 

Denuncie a falta de EPI!
Uma força-tarefa foi iniciada pela AMB (Associação Médica Brasileira) para mapear os estabelecimentos de saúde que não estão oferecendo os EPIs para os médicos que estão atuando no combate ao coronavírus.

A entidade disponibilizou um canal para que médicos e a comunidade denunciem os locais que não estejam suprindo as equipes de trabalho com estes equipamentos.

No site da AMB, clicando no link , está disponível formulário que para formalização detalhamento da denúncia. Vale lembrar que o denunciante será mantido em anonimato durante todo o processo.



Fique com a gente.

Fique em casa.

Se proteja, que assim, você protege os outros.

Empresas – Medidas e cuidados em tempos de coronavírus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo
Com o avanço do novo coronavírus pelo mundo e também pelo país, temos que nos atentar em todas as informações passadas pelos órgãos técnicos responsáveis e não deixar esse vírus se alastrar. As medidas que nosso governo vem tomando, são ineficazes ou mínimas para que nossa população não seja atingida.